Comprar casa com inquilino: 11 Pontos cruciais a considerar 

comprar casa com inquilino

Está a ponderar comprar casa com inquilino? Esta hipótese pode ser viável para vários fins, como continuar a disponibilizá-la para arrendamento, usá-la para habitação própria ou realizar novos projetos.

Contudo, o Novo Regime do Arrendamento Urbano dá aos inquilinos proteções alargadas para promover a estabilidade no arrendamento. Portanto, torna-se imprescindível conhecer ao pormenor os pontos seguintes.

 

Se vai comprar casa com inquilino, tenha atenção a estes aspetos:

 

1. Analisar o contrato de arrendamento

Para analisar tudo com o devido cuidado antes de comprar casa com inquilino, peça uma cópia do contrato de arrendamento vigente. Isso ajudará a tirar conclusões sobre a viabilidade do negócio.

 

2. Duração mínima e renovação

Tenha em mente que os direitos dos inquilinos incluem a duração mínima de um ano de contrato e a renovação obrigatória ao fim de três anos. Por isso, se o contrato for recente, só conseguirá usufruir da habitação no curto prazo se chegar a um acordo com o inquilino.

 

3. Prioridade na compra

Caso expresse interesse em comprar casa com inquilino, saiba que o arrendatário tem o direito de preferência de compra. Se o mesmo não puder ou não quiser comprar o imóvel, então a venda fica aberta a terceiros.

Adicionalmente, o valor de venda da casa deve ser igual ou superior ao que foi comunicado ao inquilino.

 

 4. Denúncia do contrato para habitação própria

Se pretender usar a casa para habitação própria ou dos primeiros descendentes, incorre na obrigação de pagar o valor de um ano de renda ao inquilino. Além disso, não pode ter habitação própria no mesmo concelho e tem de ser senhorio do imóvel há mais de dois anos. Assim, em termos práticos, se comprar casa com inquilino em 2023, só a poderá reclamar em 2025.

A comunicação ao inquilino deve ser feita com a antecedência definida por lei e incluir a razão da cessação e a data pretendida para desocupação.

 

5. Obras profundas ou demolição

Caso queira comprar casa com inquilino para posteriormente demolir o edifício ou fazer obras profundas, a denúncia do contrato de arrendamento só é permitida se dos trabalhos resultar um imóvel de características diferentes e onde não seja viável manter o arrendamento. Exemplos ilustrativos incluem comprar um andar para transformar em loja ou demolir um prédio para construir uma vivenda.

A notificação ao arrendatário deve ser efetuada por escrito com o mínimo de seis meses de antecedência, juntamente com o comprovativo da fiscalização prévia da obra.

 

6. Notificação quando o contrato está para terminar

Se não falta muito para o contrato de arrendamento chegar ao fim e, como novo proprietário, deseja denunciá-lo, saiba que deve respeitar os prazos de comunicação:

240 dias de antecedência para contratos de seis ou mais anos;
120 dias para contratos entre um e seis anos;
60 dias para contratos de menos de um ano.

 

7. Proteções especiais a inquilinos

No caso de comprar casa com inquilinos que tenham mais de 65 anos ou sejam portadores de deficiência, e cujos contratos sejam anteriores a 1990, não pode obrigar à desocupação. O mesmo verifica-se para arrendatários que vivam há mais de 15 anos no imóvel.

O contrato só pode ser denunciado se ambas as partes alcançarem um acordo ou se pretender demolir ou realizar obras profundas na habitação.

 

8. Voltar a vender enquanto o contrato está em vigor

É permitido comprar casa com inquilino e, depois, proceder à venda a novos proprietários. No entanto, não se esqueça de que, caso o imóvel se encontre em regime de arrendamento há mais de dois anos, o inquilino tem prioridade na compra. Portanto, deve entregar ao arrendatário uma carta com as condições de pagamento, preço, prazos e data. O inquilino dispõe de 30 dias para responder à proposta.

Se o arrendatário abdicar do direito de preferência, então pode vender o imóvel a terceiros. Deve notificar o inquilino da venda, da identificação do comprador e do facto de que o novo senhorio passa a exercer todas as responsabilidades referentes ao arrendamento e à casa.

 

 9. Arrendamento de longa duração 

Se desejar comprar casa com inquilino para continuar a disponibilizá-la para arrendamento, evita muitas das preocupações que temos vindo a listar. A nova lei do arrendamento oferece benefícios aos senhorios, tais como uma tributação mais leve, de modo a fomentar o arrendamento de longa duração.

 

10. Contrato de arrendamento vitalício

Verificar a duração do contrato em vigor é fundamental se pensa comprar casa com inquilino. Normalmente, o prazo máximo para um contrato de arrendamento é de 30 anos. Porém, pode verificar-se o Direito Real de Habitação Duradoura.

Este direito possibilita que os inquilinos residam permanentemente numa habitação, pagando para isso uma caução inicial e uma prestação mensal.

Se o arrendatário cumprir constantemente estas obrigações, a denúncia do contrato só se afigura possível se ambas as partes concordarem.

 

11. Ausência de contrato escrito

É obrigatório que exista um contrato de arrendamento escrito entre o inquilino e o proprietário, embora nem todas as pessoas atentem a este dever. Se antes de comprar casa com inquilino averiguar que não existe um contrato escrito, então o arrendatário tem de provar que reside na habitação e que paga renda há seis meses ou mais. Adicionalmente, o contrato passa a inserir-se no arrendamento de duração indeterminada.

 

Na DECISÕES E SOLUÇÕES, acompanhamo-lo em todos os passos da compra ou venda de casa, bem como noutras áreas de mediação. Através do nosso blog, também o equipamos com imensos conteúdos úteis e práticos para navegar no mercado imobiliário com confiança!

 

QUERO DESCOBRIR O BLOG

 

Decisões e Soluções – Intermediários de Crédito, Lda., registada no Banco de Portugal, como Intermediário de Crédito Vinculado, sob o n.º 926, verificável em https://www.bportugal.pt/intermediariocreditofar/decisoes-e-solucoes-intermediarios-de-credito-lda é mediador inscrito na ASF, desde 29 setembro 2009, com a categoria de Agente de Seguros, sob o n.º 409311648/3, com autorização para Ramos Vida e Não Vida, verificável em www.asf.com.pt. O mediador de seguros não assume a cobertura de riscos. Decisões e Soluções – Mediação Imobiliária, Lda., titular da Licença AMI n.º 9300 emitida pelo IMPIC, I.P.

 

Fotografia imobiliária: 7 Dicas para criar anúncios atrativos

fotografia imobiliária

Como consultor imobiliário, deseja que a divulgação das casas que angaria seja feita da maneira mais atrativa, diferenciadora e envolvente possível. Um dos focos principais para alcançar esse objetivo é a fotografia imobiliária.

Ao longo deste artigo, descubra sete dicas práticas e valiosas para maximizar as fotos do imóvel, de forma a reforçar a valorização do mesmo e a rapidez do negócio!

 

7 Conselhos para o sucesso da fotografia imobiliária

 

1. Prepare bem o espaço

O primeiro passo para fotografias imobiliárias cativantes é primar pela limpeza e arrumação da casa. Não deixe utensílios, itens pessoais ou brinquedos à vista.

Embora as fotos devam transmitir um espaço com personalidade e potencial, também devem passar uma ideia de “tela em branco”, que os novos proprietários ou inquilinos poderão pintar.

Será difícil alguém imaginar-se a decorar a habitação a seu gosto se as divisões tiverem fotografias pessoais, objetos utilitários ou demasiada mobília. Aposte numa decoração leve, simples e moderna.

 

2. Use a luz a seu favor

A boa iluminação é imprescindível para o sucesso da fotografia imobiliária, e não há nada como aproveitar ao máximo a luz natural. Marque as visitas para fotografar nas horas do dia em que o sol enche a casa de vigor.

Há formas interessantes de usar iluminação artificial para fotografias apelativas, mas a luz natural é sempre a melhor. É gratuita, é mais lisonjeira e corresponde à exposição solar real do imóvel.

 

3. Jogue com os ângulos e as perspetivas

O objetivo de utilizar diferentes ângulos e perspetivas na fotografia imobiliária é favorecer o espaço e representá-lo na íntegra. Portanto, reserve algum tempo para estudar o melhor posicionamento para as fotos.

Criar várias imagens permite que tenha disponível uma seleção mais vasta na hora de escolher as melhores fotografias. Divulgar fotos da mesma divisão, mas com ângulos diferentes, também proporciona uma experiência mais imersiva a quem explora o anúncio.

 

4. Destaque os pontos fortes da casa

Os planos grandes são importantes para conferir uma visão abrangente do imóvel. Mas uma ótima dica de fotografia imobiliária consiste em dar atenção a detalhes chamativos. Para muitos interessados, estes podem fazer a diferença entre fechar negócio ou não.

Identifique o que há de melhor na casa e em cada divisão, assegurando que esses elementos são destacados com boas fotografias. Nunca deixe de apresentar as características diferenciadoras da habitação.

 

5. Utilize equipamento fotográfico adequado e domine-o

Hoje em dia, a câmara de um smartphone é suficiente para tirar fotografias imobiliárias de alta qualidade. Para tal, explore as várias funcionalidades da aplicação e aproveite-as.

Se quiser apostar numa boa câmara fotográfica, os resultados podem ser ainda melhores. Similarmente ao smartphone, tire tempo para conhecer todas as potencialidades e usá-las em prol de fotos com grande poder de venda. Um complemento muito útil é o tripé, que garante capturas estabilizadas e nítidas.

 

6. Faça uma seleção cuidada das fotos

Naturalmente, não é preciso inundar um anúncio com dezenas de fotografias imobiliárias. Faça uma análise criteriosa para escolher as imagens de maior qualidade e que mais bem ilustram o ambiente, a dimensão e os pontos fortes do imóvel.

Também pode ser benéfico fazer algumas edições simples, que não desvirtuem a realidade, mas que potenciem aspetos como a cor, o brilho e o foco.

 

7. Aposte em extras distintivos

E que tal garantir que o anúncio tem a cereja no topo do bolo e apostar numa virtual tour ou video tour? Os conteúdos de vídeo e de imagens interativas são muito convidativos no mercado atual. Um formato extra de divulgação é sempre bem-vindo.

 

Enquanto consultor imobiliário, é fundamental estar a par das novidades mais importantes acerca do mercado e das melhores dicas para impulsionar o seu trabalho!

Na DECISÕES E SOLUÇÕES, esforçamo-nos por criar conteúdo prático e útil que capacita os consultores imobiliários nos vários campos da sua atividade. Explore o nosso blog e descubra os artigos que farão a diferença no negócio!

 

QUERO LER MAIS NO BLOG

 

Decisões e Soluções – Intermediários de Crédito, Lda., registada no Banco de Portugal, como Intermediário de Crédito Vinculado, sob o n.º 926, verificável em https://www.bportugal.pt/intermediariocreditofar/decisoes-e-solucoes-intermediarios-de-credito-lda é mediador inscrito na ASF, desde 29 setembro 2009, com a categoria de Agente de Seguros, sob o n.º 409311648/3, com autorização para Ramos Vida e Não Vida, verificável em www.asf.com.pt. O mediador de seguros não assume a cobertura de riscos. Decisões e Soluções – Mediação Imobiliária, Lda., titular da Licença AMI n.º 9300 emitida pelo IMPIC, I.P.